quarta-feira, 2 de maio de 2018

Leitura



Assim como há tantas leituras quantos são os leitores , os prazeres da leitura são múltiplos. 
Concorda?



"Lemos para saber, para compreender, para refletir. Lemos também pela beleza da linguagem, para nossa emoção, para nossa perturbação. Lemos para compartilhar. Lemos para sonhar e para aprender a sonhar. Lemos até para esquecer... Há leituras respeitosas, analíticas, leituras para ouvir as palavras e as frases, leituras para reescrever, imaginar, sonhar, leituras narcisistas em que se procura a si mesmo, leituras mágicas em que seres e sentimentos inesperados se materializam e saltam diante de nossos olhos espantados...".

                                                                                                                                           José Moraes
Imagem : Jay Crihfield

domingo, 15 de abril de 2018

Gênero Relato



E.E. Profa. Margarida Maia de Almeida Vieira

Língua Portuguesa –Avaliação II - Gênero Relato - 1º Bimestre / 2018

Aluno(a):.......................................................................Nº:..........Turma..... ........
Caçapava,.......... abril   de 2018.


NOTA







1 )   Considere o texto seguinte.

             David, um ativista do Grupo Cultural Força Ativa

      Eu perdi meu pai há alguns anos e isso mexeu comigo. Ele foi vítima de um latrocínio aqui na Cidade de Tiradentes, roubaram e mataram meu pai. Isso me criou um espírito de vingança. A minha sorte é que nessa época tinha alguns amigos que já estavam na área da militância e estava sempre ali comigo: “vamos lá David, é legal você participar das atividades do Força Ativa...”. Quando eu comecei a participar foi uma vitória, eu pensava: “caramba, eu estou dando uma oficina para outros jovens, eu poderia talvez estar num outro caminho!” . E foi legal que, depois de entrar no Força Ativa, eu conheci uma pessoa que me falou:”David, foi fulano que matou seu pai. Ele está lá agora no fliperama. A arma está aqui, na hora que você quiser a gente dá uma passada lá”. Foi legal que isso aconteceu depois que eu já estava nesse caminho da militância. Se fosse antes, tenho certeza que eu não teria pensado duas vezes em me vingar. Eu preferi não saber quem era. Ainda fui requisitado outras vezes: “pó, teu pai cara, você  tem que ir lá...” Mas aí o pensamento veio na família, na minha mãe, minhas irmãs, e eu já tinha um entendimento maior... Através do Força Ativa eu pude entender que essa pessoa que assassinou meu o meu pai não é o verdadeiro culpado. O verdadeiro culpado é o sistema capitalista.

               DUARTE, Neide. Frutos do Brasil: histórias de mobilização juvenil. São Paulo: Aracati-Agência de Mobilização Social, 2006.pp.58 e 59.

 a)  Identifique o tipo de narrador do relato.

 b) Qual é a finalidade dessa escrita?

 d) Como vocês reconhecem o texto lido como um relato de experiência?   

 e) No texto  há fala de outras pessoas. Como essas pessoas podem ser  reconhecidas no relato de David?

 2)    Leia os fragmentos de textos seguintes:

 I) Relato de Amyr Klink descrevendo o que aconteceu durante uma tempestade:

“O cabo de dezessete milímetros voava no vento como um fiozinho de lã. Fazer as voltas e os nós pendurado sobre a espuma não foi nem um pouco divertido. Em vez de falar em voz alta, eu gritava. Gritava para mim mesmo o que deveria fazer, que o nó não estava firme. Gritava para ouvir a minha própria voz no meio daquela turbina eólica infernal, que não parava. Gritava para não parar de fazer força, para não desistir dos nós que era preciso dar.”

(KLINK, Amyr. Mar sem fim: Viagem ao redor da Antártida. São Paulo Companhia das Letras, 2005.p.102.103)

 II) Relato de Amyr, para esposa, depois da tempestade:

“Estou exausto, com dores por todo corpo. Mal consigo me mexer. O vento estava forte demais e as ondas deram muito trabalho. O leme de vento segura o barco  quase em qualquer situação, mas dessa vez ficou de folga. Não deu para usar nem o leme de vento nem o piloto automático. Foi impressionante (...).”

 (KLINK, Amyr. Mar sem fim: Viagem ao redor da Antártida. São Paulo Companhia das Letras, 2005.p.102.103)

 III) Relato do narrador-personagem no texto Manuscrito encontrado em uma garrafa:

“Oh, horror dos horrores ! O gelo se abre de repente à direita e à esquerda e rodopiamos vertiginosamente em imensos círculos concêntricos, em torno das bordas de um gigantesco anfiteatro,cujos muros se perdem no alto da escuridão e da distância. Mas pouco tempo me resta para pensar em meu destino! Os círculos cada vez  se estreitam mais... em meio ao rugido, bramido e trovejar do oceano e da tempestade, o navio estremece... Oh, meu Deus!... e começa a  afundar!”

(POE, Edgar  Allan. Manuscrito encontrado em uma garrafa. In Histórias fantásticas. São Paulo . Ática, 2003. p. 29-30 . Col. Para Gostar de Ler, 21)

 O relato expressa o testemunho pessoal de fatos vividos, protagonoizados por que escreve. Há também o relato que, além de registrar fatos protagonizados por que escreve, tem a finalidade de documentar  uma experiência significativa.

 a) Em qual dos textos  trata-se de um relato de ficção, isto é, os fatos foram criados pela imaginação do autor?

 b)  Dos relatos lidos anteriormente quais têm  a finalidade de documentar uma experiência significativa?

 c) Em qual dos três fragmentos, a linguagem revela a intenção do autor de provocar mais emoção no leitor? Explique.

 d) Em qual dos três a linguagem revela menor emoção? Justifique.

Leitura


quarta-feira, 11 de abril de 2018

Avaliação - Verbo




EMEF Prof Fernando Pantaleão
Língua Portuguesa – Avaliação I  – Verbos Tempos e modos  1º Bimestre /2018
Aluno: _________________________________nº : ______Turma________
Caçapava ,     de abril de 2018.

1. Observe as formas nominais destacadas e escreva nos parênteses 
I para infinitivo, G para gerúndio e P para particípio.

a) Esperar todos os dias que o resultado saísse era muito desgastante. (      )
b) Despedidos os funcionários, nada mais restava a fazer. (      )
c) Ele, murmurando frases desconexas, desmaiou. (      )
d) Fraturou o cotovelo jogando bola. (      )
e) Escolher o cardápio para o jantar era a tarefa de que menos gostava. (      )
f) Devolvidos os relatórios, poderia descansar. (      )

2. Dê o infinitivo das formas verbais abaixo  e depois faça a depreensão dos seus elementos mórficos:

convidasses:                                        aceitaríamos
Infinitivo: ___________                      Infinitivo:___________
Radical:_______                                   Radical: ______
VT: ______                                                VT: ______
DMT: ________                                    DMT: ________
DNP: ________                                     DNP: ________


3. Complete as frases seguintes, empregando adequadamente os verbos entre parênteses:

a. Se eu pudesse, ____________________ um passeio pelo parque. (fazer)
b. Quando voltaram da escola, ____________________ muitos sorvetes. (tomar)
c. Se isso fosse verdade, ela já ____________________ de volta. (estar)
d.Quando os meninos chegarem, eles  ________________ para você. (ligar)
e. Caso o culpado fosse encontrado antes, eles____________________ livres. (ficar)
f. Caso o culpado seja encontrado antes, eles ____________________ livres. (ficar)
g. No sábado passado, todos ____________________ muito na festa. (falar)
h. No sábado que vem, tenho certeza de que todos ___________________ muito na festa. (falar)

4. Observe:

Ontem, eu tive uma boa surpresa. E você, também teve?
Amanhã, nós teremos uma boa surpresa. E vocês, também terão?

Reescreva as frases, colocando os verbos no futuro e no plural, de acordo com a norma-padrão:
a) Ontem, eu quis falar com a direção. E você, também quis?
 b) Ontem, eu trouxe todos os livros. E ela, também trouxe?
c) Ontem, eu fiz toda a lição. E você, também fez?
d) Ontem, eu pus o dinheiro na conta. E ele, também pôs? 

5. Complete o texto seguinte com as formas adequadas dos verbos indicados.

Só pode usar cada verbo uma única vez
pedir  -   guardar  - estar

Se D.João não ________________________ triste, o narrador talvez não ________________ aos leitores que ____________________ segredo da sua história.

6.  Indique as formas verbais correspondentes à flexão verbal indicada.

a.  verbo contar - Pretérito imperfeito do Indicativo, 3ª pessoa do plural. __________________________________________________
b.  verbo inventar - Pretérito Perfeito do Indicativo, 2ª pessoa do singular. __________________________________________________
c.  verbo escrever - Futuro do presente do Indicativo, 1ª pessoa do singular. ___________________________________________________
d.  verbo publicar - Pretérito imperfeito do subjuntivo, 1ª pessoa do singular. ___________________________________
e.  verbo viver - Presente do Indicativo, 1ª pessoa do plural. ___________________________________________________
f.  verbo servir - Presente do subjuntivo, 3ª pessoa do singular. ___________________________________________________
  
7. Assinale a alternativa que possui uma locução verbal.

a) Somente as mulheres participarão da dança.
b) Os jovens tocam violão muito bem.
c) Fiquei alegre com a boa notícia.
d) Ele ficou sabendo da festa.

8. Reescreva a frase, usando o verbo nos seguintes tempos do modo indicativo:
« Navega  uma barca no mar. »
a) Pretérito mais-que-perfeito
___________________________________________________

b) Pretérito imperfeito do indicativo:
 ___________________________________________________

c) Pretérito perfeito do indicativo:
 ___________________________________________________

d) Futuro do presente do indicativo
 ___________________________________________________

9.      Informe em que tempo do modo subjuntivo encontram-se as formas verbais destacadas abaixo.   

a. Se nós repartíssemos o bolo, todos comeriam.   
b. É possível que você a encontre depois da aula. 
c. Ele não permitiu que nós olhássemos pela janela.  
d. É improvável que fujam novamente.
10. Passe a frase do item d do exercício anterior para a 1ª. Pessoa do plural.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Análise textual - Gênero Conto





EMEF Prof Fernando Pantaleão

Língua Portuguesa – Atividade Textual  - Gênero Conto- 8º Ano  1º Bimestre/ 2018




                                                              Apelo

Amanhã faz um mês que a Senhora está longe de casa. Primeiros dias, para dizer a verdade, não senti falta, bom chegar tarde, esquecido na conversa de esquina. Não foi ausência por uma semana: o batom ainda no lenço, o prato na mesa por engano, a imagem de relance no espelho.
Com os dias, Senhora, o leite primeira vez coalhou. A notícia de sua perda veio aos poucos: a pilha de jornais ali no chão ninguém os guardou debaixo da escada. Toda a casa era um corredor deserto, e até o canário ficou mudo. Para não dar parte de fraco, ah, Senhora, fui beber com os amigos. Uma hora da noite eles se iam e eu ficava só, sem o perdão de sua presença e todas as aflições do dia, como a última luz na varanda.
E comecei a sentir falta das pequenas brigas por causa do tempero na salada – o meu jeito de querer bem. Acaso é saudade, Senhora? As suas violetas, na janela, não lhes poupei água e elas murcham. Não tenho botão na camisa, calço a meia furada. Que fim levou o saca-rolhas? Nenhum de nós sabe, sem a Senhora, conversar com os outros: bocas raivosas mastigando. Venha para casa, Senhora, por favor.

                                                                                                    (Dalton Trevisan)


A carta constitui uma das formas de composição de um texto. Por meio dela se estabelece uma comunicação por escrito, endereçada a uma ou várias pessoas.


Análise Textual


1- A pessoa que escreve a carta chama-se remetente e a pessoa a quem se destina a carta chama-se destinatário.

No texto “Apelo”:

a) Quem é o remetente?                     b) Quem é o destinatário?


2- Toda carta possui um determinado objetivo. Qual o objetivo desta carta?





3- O narrador revela no texto os vários sentimentos experimentados pela ausência de sua mulher. Nos primeiros dias, o narrador não sente de ausência de sua mulher.

a) Em que aspecto a não-presença da mulher na casa é favorável ao narrador?


b) Identifique a frase do texto que transmita a seguinte informação: durante a primeira semana, não senti a sua ausência.


c) Retire do texto uma frase que expresse a ausência da mulher.


4- O narrador menciona alguns fatos que, gradativamente, foram revelando a ausência da mulher. Transcreva alguns desses fatos.


5- Em que frase do texto o narrador informa a solidão provocada pela ausência da mulher?

6- Por que o narrador foi “... beber com os amigos...”?

7- O narrador compara a mulher à “... última luz na varanda.” Explique essa comparação.

8- Explique o que o autor quis dizer com a seguinte frase:

“ As suas violetas, na janela, não lhes poupei água e elas murcham.”

9- A palavra “Senhora” adquire no texto um sentido especial, seja pelo ritmo em que aparece nas frases, seja pela grafia, usada com o valor de substantivo próprio. O que sugere no texto o emprego desta palavra?

10- Na frase “a pilha de jornais ali no chão ninguém os guardou debaixo da escada”, o pronome oblíquo os, se refere ao que?

11. O NARRADOR PROJETA UMA IMAGEM DE MARIDO QUE PODE SER DEFINIDA COMO:

(    )Homem que partilha com a mulher as responsabilidades da casa.

(    ) Homem preocupado com as necessidades e carências da  mulher.

(   ) Homem alheio ao serviço da casa, tido como coisa de mulher, mas exigente em relação a ele.

(    ) Homem que se preocupa com o bem-estar da mulher.

Leitura



                                                         Imagem : https://www.google.com.br/search?q=Imagemsn+de+leitura