sábado, 23 de junho de 2018

Aprender sempre

Imagem: https://www.google.com.br/searchq=Uma+das+coisas+mais+maravilhosas+da+vida+é+que+o+aprendizado

Gênero Textual Causo


                                         EMEF Prof Fernando Pantaleão 
Língua Portuguesa - Interpretação de texto Gênero Causo - 6º Ano - 2º Bimestre /2018

 Num rancho às margens do Rio Pardo (crenças populares)


Era um matuto dos bons e vivia num rancho às margens do Rio Pardo, perto de Cajuru. Seu Ico era o apelido dele. Acreditava em tudo que via e ouvia. E tinha opiniões muito firmes sobre coisas misteriosas. Adorava contar casos de assombração e outros bichos:
— Fui numa caçada de veado no primeiro dia da quaresma! Ai, ai, ai! Num pode caçá na quaresma, mas eu num sabia. Aí apareceu a assombração! Arma penada do otro mundo. E os cachorro disparô. Foro tudo pro corgo pra modi fugi da bicha... Veado que é bão nem nu pensamento, pruque eis tamém pressintiru a penuria passanu ali pertu!
— Mas era assombração mesmo, seu Ico?
— Pois u que havera di sê? Esse mundo é surtido!
Pois no mundo sortido do seu Ico também tinha saci!
— Quando é que o senhor viu saci, seu Ico?
— Ara! Vi a famia toda, num foi um saci só... Tinha o saci, a sacia gravi (ele queria dizer grávida), e os sacizim em riba da mãe, tudo pulano numa perna...
— E o que eles fizeram ou disseram pro senhor?
— Nada... O saci cachaço inda ofereceu brasa pro meu paiero (tradução: o saci-pai acendeu o cigarro de palha dele). Gardicido!, eu disse... e entrei pa dentro modi num vê mais as tranquera...
E mula sem cabeça? Ah, seu Ico garante que existe:
— Essa eu nunca vi, mas ouvi o rinchado dela umas par de veis... E otro que eu tamém vi foi o tar de lobisome! Ê bicho fei! Mai num feis nada... desvirô num cachorro preto e sumiu presse mundão de meu Deus. Agora, em dia de pescaria, aparece muito é caboco-d'água. Um caboquim pretim e jeitado que mora dentro do rio... Ah, e tem que vê tamém o caapora. Grandão qui nem ele só, com um corpo peludo. Bichu fei! E o curupira! Vichi Maria, é fei dimais, tem pé virado pa trais...
— E com tudo isso o senhor ainda se arrisca a ir pro meio do mato, seu Ico?
— Pois vô sem medo! Qué sabê? - Dá uma gargalhada rouca e faz um ar maroto. - Qual! Tenho muito, mais muito mais medo é de gente vivo!

EQUIPE Xico da Kafua, 24 novo 2007. Disponível em: <http://www.xicodakafua.com.br causos_detalhe.php?cod=9>. Acesso em: 8 jan. 2015.


EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO DO TEXTO

1. Complete a alternativa a seguir com as informações corretas sobre o texto.

Nesse texto. um narrador fala sobre seu ________ , um homem do ________ que diz ter visto diferentes tipos de _________ . Para descrever o matuto, o narrador apresenta sua conversa com ele.


2. Releia as perguntas ou comentários que o narrador dirige a seu Ico.
— Mas era assombração mesmo, seu Ico? [...]
— Quando é que o senhor viu saci, seu Ico? [...]
— E o que eles fizeram ou disseram pro senhor?

Qual é a intenção do narrador ao fazer essas perguntas?

3. O narrador, além de mostrar ao leitor os causos de seu Ico, retrata-o como uma personagem bem interiorana. Destaque palavras, expressões ou frases que identifiquem seu Ico como tal.

4. E possível dizer que há dois narradores no texto que você leu: um que conta a história de seu Ico e outro que é o próprio Ico - personagem que também narra suas histórias ao longo do texto.

Considerando essas informações, responda: Qual dos dois narradores pode ser considerado um "contador de causos"?

5. Quais são os seres sobrenaturais citados por seu Ico?

Importante saber:
O texto "Num rancho às margens do Rio Pardo" fala sobre os seres criados pela rica imaginação popular: o saci, a mula sem cabeça, o lobisomem.
As histórias que contam fatos sobre esses seres são chamadas lendas.

6. Releia o trecho a seguir e responda às próximas questões.
— Fui numa caçada de veado no primeiro dia da quaresma! Ai, ai, ai! Num pode caçá na quaresma, mas eu num sabia. Aí apareceu a assombração!

a) Seu Ico faz referência a uma crendice popular relacionada a um fato religioso. Qual é ela?
b) As crendices populares estão presentes no cotidiano. Cite algumas que você conhece.

7. Você já viu um contador de causo pessoalmente ou pela TV? Conte para seus colegas.

8. Copie das frases a seguir as palavras cujo significado você desconheça. Primeiro, tente descobrir o sentido dos termos, observando a relação que estabelecem com outras palavras. Depois, pesquise as palavras no dicionário e anote o significado que seja mais adequado ao contexto.

a) "Era um matuto dos bons [...]"
b) "Dá uma gargalhada rouca e faz um ar maroto."



segunda-feira, 11 de junho de 2018

Verbos I



EMEF  Prof Fernando Pantaleão

Língua Portuguesa/ 7º ano/  Verbos   – Exercícios Finais – 2º Bimestre/2018

1. Destaque os verbos presentes nos seguintes versos do poema: 

“O verbo saiu com os amigos
 Pra bater um papo na esquina,
 A verba pagava as despesas,
 Porque ela era tudo o que ele tinha. “

2. Preste atenção aos verbos destacados e informe o que cada um exprime, de acordo com o código apresentado:   ( A ) ação     ( E ) estado       ( F ) fenômeno da natureza. 
a) O verbo afagou sua mágoa, e dormiu. (        ) (        ) 
b) Anoiteceu, e a verba caiu aos pés do verbo a chorar. (         ) (         ) (         ) 
c) O verbo ficou chorando até o amanhecer. (         ) 
d) A verba era fria e calada. (         )

3. Leia o poema e responda.

Eu falo                                 *  ajunto                                      Eu (escrever)
tu ouves                               * conservas                                 Tu (ler)
ele cala                                * rouba                                        Ele (apagar)                             

Eu procuro                         Eu (defender)                              (Afonso Romano Sant’ana)
tu indagas                          tu (combater)
ele esconde                        ele (entregar)

Eu planto                            eu canto
tu adubas                            tu calas
ele colhe                             ele vaia

a) Informe as pessoas e o número dos verbos do poema.
b) Qual o tempo dos verbos que nele aparecem? 
c) Qual o único verbo da 3ª conjugação utilizado no poema? 
d) Reescreva a 4ª estrofe do poema, substituindo o * pelo pronome pessoal adequado, de acordo com a forma verbal.
 
4. Indique o tempo das formas verbais destacadas: 

a) Não comerei mais chocolate, pois pretendo emagrecer.      
b) Ele já terminara o dever de casa quando o amigo o convidou para brincar.    
c) Ficaria feliz se você voltasse a estudar.    
d) Eles avisaram que chegariam atrasados.  
 e) Quando eu cheguei, ele já começara a conferência.

5.Escolha a alternativa correta para preencher as lacunas com verbos no modo indicativo: 
a. Eu sempre .................as atividades que desejo realizar.   (escolhia  - escolhi  - escolhera  - escolho) 
b. Se todos colaborarem, .................assim que o sol nascer.  ( saímos  - sairemos  - sairíamos  - saíamos )
c. Ainda que todos saiam, .................em casa.  (permaneço  - permaneci  - permanecerei  - permanecia )
d. Quando partires, ...................saudades.  ( deixará  - deixarás  - deixaria  - deixava) 
e. Júlia e eu .....................o caderno se tivesses pedido.  (emprestaria  - emprestaríamos  - emprestaremos  - emprestamos ) 

6. Leia o texto a seguir.
O pequeno planeta estava silencioso. Os astronautas não estavam percebendo a presença de ninguém , mas, como o chão se apresentava marcado por estranhas pegadas luminosas, eles   tinham certeza de que o planeta era habitado.
Os astronautas estavam curiosos, porém precisavam voltar rapidamente para as suas espaçonaves e sair daquele lugar.
Era dia 16 de junho de  2397 do calendário interplanetário.


Agora imagine que você seja um dos astronautas e que os fatos estejam acontecendo exatamente neste momento. Reescreva o texto, alternando adequadamente as palavras destacadas.

7. a. Observe as formas verbais destacadas e indique a pessoa e o número em que foram usadas.

As duas velhinhas
Mariana e Marina,
Estão sentadas na varanda:
Marina e Mariana.
Elas usam batas de fitas,
Marina e Mariana.
E penteados de tranças: Marina e Mariana.
Tomam chocolate, as velhinhas,
Marina e Mariana.
Em xícaras de porcelana:
Mariana e Marina.
Uma diz: “Como a tarde é linda,
Não é, Mariana?”
A outra diz: “Como as ondas dançam,
Não é, Marina?”
“Ontem, eu era pequenininha”,
Diz Mariana.
“Ontem nós éramos crianças”,
Diz Marina.
E levam à boca as xicrinhas,
Mariana e Marina,
as xicrinhas de porcelana:
Marina e Mariana.
Tomam chocolate, as velhinhas,
Marina e Mariana.
E falam de suas lembranças,
Mariana e Marina.

Cecília Meireles)

8. Complete com o verbo indicado nos parênteses.

a) Meus irmãos ______________ em uma casa no centro da cidade. (morar/ presente do indicativo)
b) Tu _________________ os moradores deste edifício? (conhecer/ pretérito perfeito do indicativo)
c) Que tal se nós __________________uns ovos? (fritar/ pretérito imperfeito do subjuntivo)
d) Tomara que eles ________________o prêmio. (ganhar/ presente do subjuntivo)
e) O trem ________________ lentamente. (partir/ pretérito imperfeito do indicativo)
f) O agricultor ________________ muito café este ano. (colher/ futuro do presente do indicativo)

Pássaros e Pessoas


sexta-feira, 8 de junho de 2018

Substantivos




EMEF Prof Fernando Pantaleão

Língua Portuguesa – Atividade Complementar – Substantivo – 2º Bimestre / 2018 – 6º Ano

1 .Leia o trecho baixo :

            “Vovó Anita era baixinha,bem baixinha. Cabelos grisalhos,oculinhos no nariz.Sempre o mesmo vestido de bolinhas  ( encomendava na costureira, sempre o mesmo modelo) no qual havia dois grandes bolsos.Neles ficavam seus guardados. Quase todos secretos segredos. Tornava visíveis apenas o que precisava : o dinheiro enrolado dentro de uma bolsinha tipo porta – moedas,um lencinho perfumado, a caderneta na qual anotava despesas e outra preta,com números de telefones.Seus tesouros eram guardados em incontáveis gavetinhas de seu guarda – roupa, todas  impecavelmente arrumadas.”

Retire desse trecho :

a. dois substantivos comuns que sejam derivados.
b. dois substantivos   abstratos .
c. dois substantivos comuns que sejam concretos e  primitivos .
d. dois substantivos comuns que sejam compostos.

2.Separe os substantivos grifados em concretos ou abstratos:

 a. Minha irmã é minha  alegria.                                
b . Você é a minha felicidade.
c. Eu creio que a vida  é bela .                                   
d .Veja a dor que devora o meu coração.
e. Tenho por você um grande afeto.                        
f. No da serra  vivia  um velho.
 
3. Copie a alternativa em que uma das palavras grifadas não é substantivo:

(       ) Na juventude aprendemos;na maturidade,compreendemos.
(       ) Não existe travesseiro mais macio que a nossa consciência.
(       ) Muitos turistas passaram as férias no Rio de Janeiro.
(       ) Esta floresta  é muito perigosa.
(       ) O pobre vivia num casebre.

4. Leia :
Floração

Meti-me em  chapéu de flores, / prendi brincos-de-rainha,  / prometi-me amor- perfeito,  / perfumei -me  de    jasmim.
     E chamo copo -de- leite / o beija -flor maravilha  / que inspirou tanto jardim.
  

Separe os substantivos do texto acima em simples ou compostos.

5.Leia :

“Quero uma menina para namorar. Uma menina bem moreninha, bem queimadinha de sol. Nada de Branca de Neve. Deixa ela lá com seu Príncipe e os Sete Anões.
Não quero nenhuma Bela Adormecida . Quero uma garota –fera, cheinha de vida. Que saiba apanhar no ar qualquer coisa que eu quiser dizer e não der, por causa dos curiosos.Não quero a Cinderela complicada e tão maltratada, procurando feito louca um sapatinho de cristal. Quero alguém assim como eu, com a cara suja de manga, pernas sujas de terra, com o tênis cheirando mal.”

No texto acima, considere os  substantivos destacados. Classifique-os em próprio ou comum, simples ou composto, concreto ou abstrato, primitivo ou derivado e coletivo.

6.Leia o trecho baixo e circule todos os substantivos:

O Xingu é um dos mais fascinantes rios da Amazônia. Em suas margens e ilhas, cobertas de florestas, vivem  índios, caboclos e muitos animais selvagens.
         Dois rapazes, Vito D’Alessio e Renato Dutra, viajaram mais de 1400 quilômetros pelo Xingu, de caiaque.      
         Na primeira noite de viagem estavam dormindo numa pequena ilha no meio do rio, quando Vito, ao sair da rede para reacender a fogueira, teve uma “surpresa”...

7.Retire desse trecho , sem repetir :

a.um substantivo comum que seja derivado
b.um substantivo  abstrato que seja derivado
c.um substantivo comum que seja concreto e  primitivo
d.um substantivo simples, concreto e derivado

8.Separe os substantivos abaixo  em compostos ou derivados :

jornaleiro /   planalto /    amor – perfeito  /    pulseira  /      coqueiro   /     pombo – correio    /      lobisomem / vira – lata   /    chuteira    /     engenheira    /     girassol  /     passatempo    /     pisca – pisca   /  cotoveleira.

9. Passe as frase abaixo para o plural :

a. O príncipe conversava alegremente com a jovem.
b. A vereadora entregou a cesta básica para o órfão.
c. A amazona cuidava de seu belo cavalo.
d. O leão feroz atacou um cidadão .

10 Agora, reescreva as frases do exercício nº 9, mudando o gênero dos substantivos.

terça-feira, 5 de junho de 2018