sábado, 26 de maio de 2012



EMEF Profº Fernando Pantaleão
   Língua Portuguesa – Revisão – 8º Ano – 2º Bimestre /2012          

  Texto Prescritivo e Texto Injuntivo

                Vamos  retomar aqui  uma modalidade de gênero muito comum a todos nós, cuja finalidade discursiva cumpre o papel de nos instruir acerca de um determinado assunto. Dessa forma, há dois tipos de texto que serão retratados aqui, com o intuito de explicar as características que os demarcam. São eles: o texto prescritivo e o injuntivo. Embora dotados de aspectos distintos, o texto prescritivo e o texto injuntivo apresentam natureza instrucional.
                O chamado texto prescritivo, que nos remete à noção de prescrever, trata-se de algo que deve ser cumprido à risca, cujas instruções são inquestionáveis, ou seja, devemos segui-las ao “pé da letra”, digamos assim. Trata-se, pois, de uma imposição de natureza coercitiva, cujos exemplos se manifestam por:

* As cláusulas regidas mediante um dado contrato;
* As regras proferidas mediante os pressupostos gramaticais;
* As instruções manifestadas na maioria dos editais de concursos públicos;
* Os discursos revelados nos artigos da Constituição ou do Código de Processo Penal.

                Já o chamado texto injuntivo, de semelhante finalidade (instrução), já não apresenta esse caráter coercitivo, haja vista que apenas induz o interlocutor a proceder desta ou daquela forma. Assim, torna-se possível substituir um determinado procedimento em função de outro, como é o caso do que ocorre com os ingredientes de uma receita culinária, por exemplo. São exemplos dessa modalidade:

* A mensagem revelada pela maioria dos livros de autoajuda;
* O discurso manifestado mediante um manual de instruções;
* As instruções materializadas por meio de uma receita culinária.

TEXTOS PRESCRITIVOS E INJUNTIVOS

FUNÇÃO

• Regular com precisão o comportamento humano para realização de algum objetivo.

MODELOS

• Instruções escolares.
• Receitas culinárias.
•  Regulamentos, códigos, normas: jogo, de comportamento, etc.
•  Instruções de manejo de materiais, aparelhos,etc
 • Instruções para realização de trabalhos manuais, etc.

CONTEÚDOS

• Explicação detalhada de como fazer determinada tarefa.
• Presença de gráficos e sinais para ilustrar o conteúdo.

FORMATO

• Texto em prosa diferenciado graficamente do restante do texto (por exemplo, da enumeração de materiais necessários).
• Uso de formas de ordenação e esquematização: numeração dos passos a serem seguidos, roteiros, etc.

GRAMÁTICA

. Frases curtas e precisas. Uso léxico específico do tema, especialmente verbos de ação.
• Uso de formas impessoais no presente ou na 2ª pessoa no imperativo.
• Importância de partículas temporais para ordenar a sequencia de ações.

PROCEDIMENTOS DE LEITURA

• Uso de imagens, gráficos e ilustrações como complemento da informação textual.
• Identificação das etapas do processo temporal (o que é primeiro, o seguinte, etc.)
• Identificação e compreensão dos verbos de ação.
• Procedimentos de consulta no decorrer da realização da tarefa.

Ler


sexta-feira, 25 de maio de 2012


EMEF  Profº  Fernando Pantaleão


Língua Portuguesa – Produção de texto II  - Tipologia Narrativa - 2º Bimestre / 2012  7os. Anos  A e B




I.   Amplie a seguinte idéia, criando um pequeno texto . Você poderá colocar elementos descritivos, nomes para os personagens, especificar o local e data. Fique à vontade. 
                                     
        
           Um homem foi a sua fazenda e dando comida para as galinhas, perdeu a sua aliança. Com medo da mulher, dirigiu-se à cidade e pediu para um joalheiro amigo fazer-lhe uma nova aliança. Ao chegar em casa, disse à mulher que a sua aliança havia entortado por causa de uma pancada na porteira da fazenda e que  e havia mandado arrumar. Passada uma semana, a mulher mandou-lhe trazer um frango da fazenda e qual não foi sua surpresa ao abrir sua moela, encontrou a aliança lá dentro.

II. Você vai modificar o seu texto escrito no exercício anterior, alterando a ordem da narrativa. Primeiro, comece a escrevê-lo pelo meio; depois, pelo fim. Se quiser, acrescente elementos.


Observações:

a)    Estabelecer um mínimo de vinte linhas a partir da continuidade da história;

b)    Dê um título adequado à história;

c) Faça uma auto-avaliação do seu texto antes de passá-lo a limpo.

terça-feira, 22 de maio de 2012


EMEF Profº Fernando Pantaleão
Língua Portuguesa – Leitura e Análise textual – 8º Ano – 2º Bimestre /2012
Texto Instrucional
Texto I

Alimente-se com cuidado

          Quando o assunto é alimentação, todo cuidado é pouco. Alimentos mal conservados e água não tratada são meios fáceis de contrair doenças. Calor e umidade em excesso são fatores de risco, favorecem a proliferação de micro-organismos. Ao comer maionese, bolos e doces recheados, carnes mal cozidas, leites e derivados, peixes e frutos do mar, certifique-se de que todos estejam em boas condições, e  nunca coma em locais que tenham pouca higiene. Para evitar as famosas intoxicações alimentares, basta adotar algumas medidas simples, mas que dão bons resultados:

                                                        www..klickeducacao.com.br/2006/conteudo/pagina/0.6313,-725-3203-.00.html

•Lave as mãos antes e depois de comer e depois de ir ao banheiro.
•Mantenha os alimentos perecíveis ou os que estragam rapidamente na geladeira.
•Evite alimentos de conservação duvidosa ou aqueles que você não sabe de onde vieram.
•Evite comer alimentos crus ou mal cozidos.
•Lave os utensílios de cozinha logo depois de usá-los.
•Armazene caixas e embalagens em locais frescos e protegidos do sol.
•Guarde as sobras de alimento na geladeira ou as congele.
•Escolha alimentos in natura que tenham aspecto, cheiro e cores normais.
•Não compre produtos com embalagens furadas, rasgadas, enferrujadas ou estufadas.
•Verifique o prazo de validade dos alimentos.
•Cuidado com barracas e carrinhos que ficam sob o sol e não possuem uma manutenção adequada dos alimentos.
Para entender o texto

O texto que acabamos de ler foi extraído de uma página da internet. A respeito dele, responda às questões propostas a seguir:
1. Para que serve o texto lido?
2. Em que parte do texto há explicações sobre as ações que devem ser realizadas para se evitar uma intoxicação alimentar?
3. Quem deve realizar essas ações?
4. Tente localizar algumas formas verbais que indiquem as ações a serem executadas pelos leitores.
5. Onde você costuma encontrar textos como esse?

Texto II

Você vai ler agora uma receita culinária, que tem um objetivo semelhante ao do texto sobre como se alimentar sem se intoxicar. Observe:

Batatas à Parmentier

                Cortam-se em rodelas muito finas 500g de batatas grandes, farinhentas, temperam-se com sal e arrumam-se dentro de uma forma bem untada de manteiga, em camadas alternadas com queijo ralado e uns pedacinhos de manteiga. Deixa-se uma margem de três dedos. Batem-se três ovos, misturam-se com um copo de leite, um pouco de sal, uma colher de chá de açúcar  e uma de sopa de manteiga derretida. Derrama-se por cima das batatas, polvilha-se com queijo e leva-se ao forno regular durante 30 minutos. Vira-se e cobre com um molho de camarões.
                                          In: Ubiratan Rosa (org.) Nova enciclopédia mundial de culinária. São Paulo: Letícia, s/d.v.1.

Para entender o texto

1. Ao ler essa receita, o que você observou de especial?
2. Você já deve ter lido outras receitas culinárias como essa. Em geral, onde elas costumam ser encontradas?
3. Esta receita foi publicada numa enciclopédia. Você sabe o que é uma enciclopédia?
4. Em que tempo verbal estão a maior parte dos verbos?

5. Nas receitas que você lê em livros e revistas , quais as semelhanças e diferenças entre a receita apresentada no texto?
6. Reescreva o texto “Batatas à Parmentier” de modo que ele fique semelhante aos txtos  de receitas culinárias que você conhece.
Fonte :  FARACO, Carlos Emílio; MOURA, Francisco Marto de; MARUXO Jr. ,José Hamilton. Língua Portuguesa – linguagem e interação.São Paulo: Ática,2010. V.7,p 186-7.

















terça-feira, 8 de maio de 2012

                                                   
                                                       O livro

                                                       Amigo
                                                       Silencioso, quieto
                                                       Cheio de surpresas e caminhos.
                                                       Querido por quem gosta de desvendar
                                                       Diferentes mundos e mistérios.
                                                       Sentido
                                                       Com o descaso de alguns
                                                       Indiferentes ao seu saber.
                                                       Ferido
                                                       Pelo abandono de quem
                                                       O julga dispensável.
                                                       Colhido
                                                       Como rosa bonita e perfumada
                                                       No jardim da sabedoria.
                                                       Oferecido
                                                       Como pérola rara
                                                       A ser apreciada.
                                                       Livro
                                                       Em tuas entranhas
                                                       Há uma estrada ensolarada.

                                                          (Selma Amaral - blog.xisclub.com.br)

sábado, 5 de maio de 2012

Pessoas que leem são mais legais


Pesquisadores da Universidade de Washington e Lee (EUA) constataram esse efeito com um teste bem simples: colocaram voluntários para ler uma história bem curtinha, fizeram algumas perguntas para identificar o quanto cada um tinha curtido o que leu e aí derrubaram, sem querer querendo, um monte de canetas no chão. O estudo conta que, quanto mais “transportadas” para dentro da história as pessoas tinham sido, maiores eram as chances de levantarem o bumbum da cadeira para ajudar a recolher as canetas.
A explicação é que quando lemos algo que realmente mexe com agente, criamos empatia pelos personagens da história —e quanto maior essa empatia, mais propenso a gente fica a ser bacana com os outros na vida real. E você aí, anda lendo muito?

Fonte: http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/pessoas-que-leem-sao-mais-legais/

terça-feira, 1 de maio de 2012



                                                          Diálogo na classe de palavras
Certo dia um substantivo estava conversando com seus companheiros de classe quando afirmou: “ Eu sou o mais importante da classe de palavras, pois eu dou nome aos seres”. Mas o pronome, tomando a palavra , disse: “ Como pode ser o mais importante se eu posso substituí-lo?”. Neste momento o verbo, que estava chegando e escutou a conversa, deu sua opinião: Estão enganadas, pois eu sou a ação da palavra, logo sou o mais importante “. O advérbio achou interessante e apresentou sua ideia , dizendo: “ Sem meu modo, de tempo e de lugar tudo estaria perdido”.
O Numeral, que já estava aflito para falar, relatou diante de todos: “Sou o mais importante porque eu determino a quantidade “. O adjetivo interveio: “ Não adianta quantidade sem a qualidade”. A conjunção então expôs: “ Sou mais importante porque ligo os pensamentos para que a frase tenha sentido”. Nisto , o artigo fez uma interjeição: “ Ai, ai, ai, sem o artigo a palavra se tornaria sem gênero e número”. A preposição pediu a palavra e pronunciou-se: “ Como tenho a função de unir uma palavra a outra, quero chamar a atenção dos caros colegas a respeito de que, na classe, cada um tem a sua função, e que se não estivermos unidos em um texto, nossos leitores não teriam a alegria de lê-lo, por isso somos todos especiais.
Por Welma Deliane de Souza Aristides (Cachoeira dos Índios , PB) In  MUNDO JOVEM, um jornal de ideias, Maio 2012 , p. 3.