sexta-feira, 13 de julho de 2012


 EMEF Profº Fernando Pantaleão

Gênero Conto de Fadas/Conto Maravilhoso - 6º Ano - Leitura e Análise Textual


                                   Era dia de caçada

 O príncipe acordou contente. Era dia de caçada. Os cachorros latiam no pátio do castelo. Vestiu  o  colete  de  couro,  calçou  as  botas.  Os cavalos  batiam  os  cascos  debaixo  da  janela. Apanhou as luvas e desceu.
  Lá embaixo parecia uma festa. Os arreios e  os  pelos  dos  animais  brilhavam  ao  sol. Brilhavam  os  dentes  abertos  em  risadas,  as armas, as trompas que deram o sinal de partida.
  Na floresta também ouviram a trompa e o alarido. Todos souberam que eles vinham. E cada um se escondeu como pôde.
  Só a moça não se escondeu. Acordou com o som da tropa, e estava debruçada no regato quando os caçadores chegaram.
  Foi assim que o príncipe a viu. Metade mulher, metade corça, bebendo no regato. A mulher tão bonita. A corça tão ágil. A mulher ele queria amar, a corça ele queria matar. Se chegasse perto será que ela fugia? Mexeu num galho, ela levantou a cabeça ouvindo. Então o príncipe botou a flecha no arco, retesou  a  corda,  atirou  bem  na  pata  direita.  E  quando  a  corça-mulher  dobrou  os  joelhos  tentando arrancar a flecha, ele correu e a segurou, chamando homens e cães.
  Levaram a corça para o castelo. Veio o médico, trataram do ferimento. Puseram a corça num quarto de porta trancada.
  Todos os dias o príncipe ia visitá-la. Só ele tinha a chave. E cada vez se apaixonava mais. Mas a corça-mulher só falava a língua da floresta e o príncipe só sabia ouvir a língua do palácio.
  Então ficaram horas se olhando calados, com tanta coisa para dizer.
  Ele queria dizer que a amava tanto, que queria casar com ela e tê-la para sempre no castelo, que a cobriria de roupas e jóias, que chamaria o melhor feiticeiro do reino para fazê-la virar toda mulher.
  Ela queria dizer que o amava tanto, que queria casar com ele e levá-lo para a floresta, que lhe ensinaria a gostar dos pássaros e das flores e que pediria à Rainha das Corças para dar-lhe quatro patas ágeis e um belo pelo castanho.
  Mas o príncipe tinha a chave da porta. E ela não tinha o segredo da palavra.
  Todos os dias se encontravam. Agora se seguravam as mãos. E no dia em que a primeira lágrima rolou dos olhos dela, o príncipe pensou ter entendido e mandou chamar o feiticeiro.
  Quando a corça acordou, já não era mais corça. Duas pernas só e compridas, um corpo branco. Tentou levantar, não conseguiu. O príncipe lhe deu a mão. Vieram as costureiras e a cobriram de roupas. Vieram os joalheiros e a cobriram de jóias. Vieram os mestres de dança para ensinar-lhe a andar. Só não tinha a palavra. E o desejo de ser mulher.
Sete dias ela levou para aprender sete passos. E na manhã do oitavo, quando acordou e viu a porta aberta, juntou sete passos e mais sete, atravessou o corredor, desceu a escada, cruzou o pátio e correu para a floresta à procura de sua Rainha.
  O  sol  ainda  brilhava  quando  a  corça  saiu  da floresta, só corça, não mais mulher. E se pôs a pastar sob as janelas do palácio.
(COLASANTI, Marina. Uma ideia toda azul. São Paulo: Global, 1999. p. 35-40. )

trompa: instrumento de sopro, de metal, usado nas calçadas.
alarido: gritaria, algazarra.
regato: riacho, pequeno e estreito curso de água.
retesar: tornar tenso, esticar.
corça: é um mamífero cetartiodáctilo da família dos cervídeos

1. O texto Era dia de caçada é um conto maravilhoso.
a) O que você entende por conto maravilhoso?
b) Que personagens do conto lido representam o elemento mágico?

2. Os protagonistas da história são a corça-mulher e o príncipe. Apaixonado por ela desde que a viu, ele levou-a para o palácio. O que você pensa sobre a forma como o príncipe a capturou e a manteve no castelo?

3. Releia os parágrafos 9 e 10 e comente a forma como os dois são construídos. O que é interessante neles?  
4. A atitude da moça, ao fugir do palácio, revela-nos o quê?

5. Um conto de fadas tradicional terminaria com o casamento das duas personagens. Na sua opinião, esse seria o melhor desfecho para a história? Explique.
6. Observe a imagem e responda às questões seguintes.
 
a) Na situação retrata na imagem, que tipo de linguagem as personagens estão utilizando: verbal ou não verbal? Explique.
b) Podemos dizer que a corça-mulher e o príncipe na imagem acima são ao mesmo tempo locutores e locutórios? Por quê?
c) Através de que código (gesto) o príncipe achou que deveria chamar o feiticeiro?
7. Suponha que queria chamar uma pessoa até o local onde você está. Como faria para chamá-la, se ela fosse:
 a) um idoso, com mais de 70 anos?      
                                                            
b) um colega da sua classe, com quem você tem muita amizade? 
c) um rapaz jovem, que você não conhece? 


GABARITO

1. a) É uma narrativa falada ou escrita. Caracteriza-se por apresentar uma história com personagens que agem
num determinado lugar e espaço de tempo e um narrador que conta essa história.

2. Resposta pessoal

3. O interessante é que eles são muito parecidos: mostram os sentimentos do príncipe e da moça e nos levam a perceber que, apesar de se amarem, cada um tinha desejos diferentes.

4. Revela que a necessidade de viver em seu mundo é muito forte, mais forte do que o amor que sente pelo
príncipe.

5. Resposta pessoal

6. a) Não-verbal. As personagens estão se comunicando através de olhares.
b) Sim. Ambos se comunicam ao mesmo tempo.
c) A lágrima.

7) Resposta pessoal


Um comentário: