sábado, 27 de julho de 2013

Revisão - Adjetivo


EMEF Profº Fernando Pantaleão
Língua Portuguesa – Adjetivo ( Revisão)   6º ano – 3º Bimestre 2013


Você vai  ler um trecho de uma lenda tupi, escrita no século XIX.

                                                          A noiva

                Ao raiar da luz no céu, Jandira abriu os lindos olhos negros.
                A doce filha de Magé saltou da rede que embalara os sonhos castos da virgem; e despediu-se dela como a jaçanã que deixa a moita para habitar o ninho do amor.
                A virgem araguaia acreditava ter dormido a última noite na cabana paterna, que essa manhã ia trocar pela cabana do esposo.
                O jovem caçador que a amava, Jaguaré, fora aclamado guerreiro, e entre todos os guerreiros o chefe da nação.
                Como guerreiro ele pôde tomar uma esposa; e como chefe pertence-lhe a virgem de sua escolha, entre as mais formosas da taba.
                                                                                 ALENCAR, José de.  Ubirajara . São Paulo: Saraiva, 1966. p. 28.


1.  Observe como é feita a descrição de Jandira no início do texto.

a) Transcreva os adjetivos utilizados para caracterizar:

Olhos: .............................................................................................................................................
Filha:................................................................................................................................................
Sonhos:............................................................................................................................................
Virgem:............................................................................................................................................

b) Escolha dois outros adjetivos para caracterizar “olhos”, a fim de modificar a descrição da personagem, como se Jandira não fosse uma indígena.
Jandira abriu os (*) olhos (*).

c) Escolha um outro adjetivo para caracterizar “filha”, que seja sinônimo de “doce”.
A (*) filha de Magé

d) Qual destes adjetivos é antônimo (tem sentido oposto) de “castos”:

(____) puros                 (____) inocentes                   (____) maliciosos                  (____) tristes

e) “Araguaia” em tupi significa “os guerreiros das araras” porque esses guerreiros usavam as penas vermelhas das araras para enfeitar-se. Araguaia é também o nome de um rio. Qual é o adjetivo pátrio relativo a pessoas nascidas na região desse rio?
2.  Qual o local de origem de um:
a) tocantinense?.........................................................................................................
b) mageense?.............................................................................................................
c) moçambicano?.........................................................................................................
d) noronhense?...........................................................................................................

3.Leia o trecho a seguir, da obra  Ubirajara , de José de Alencar:
''A virgem araguaia acreditava ter dormido a última noite na cabana  paterna  (...)''

a) Substitua o adjetivo em destaque por uma expressão correspondente.
b) Que nome se dá a essa expressão, que tem valor de adjetivo?
c) Em “cabana  do esposo ”, é usual substituir a expressão em destaque por um adjetivo? Por quê?
d) Caso a cabana fosse da mãe de Jandira, como seria chamada? E se fosse de seu irmão?

4.  Observe a palavra em destaque a seguir: O  jovem  caçador que a amava, Jaguarê, fora aclamado guerreiro.

a) “Jovem” pertence a qual classe gramatical? Justifique sua resposta.
b) Em “Jaguarê era o  jovem  que amava Jandira”, a que classe pertence a palavra em destaque? Comprove sua afirmação.
c) Empregue a palavra  doce  em duas frases, de forma que ela possa ser substantivo e adjetivo, respectivamente.


Retomando o voo



Depois de merecido descanso é preciso retomar o voo para as  novas aventuras do aprender.

                                      Bom retorno a todos.

                       


terça-feira, 2 de julho de 2013

Atividade Artigo de Opinião


EMEF  Prof Fernando Pantaleão

Língua Portuguesa – Atividade textual – Leitura , análise e produção escrita - 8º ano    

Gênero  Artigo de Opinião

                                                                         Fácil assim?

                                                                                                    Articulista:  Samy Santos

                “A polícia quando quer, faz”. Por trás dessa máxima se esconde o senso comum, falta de pessoal e estrutura adequada para coibir a criminalidade. A expressão do primeiro período desse texto já está “consagrada” no meio social, visto que parte considerável da população só vê a polícia como uma Instituição corrupta e inoperante.
            Esse debate volta à tona em razão dos acontecimentos recentes. O delegado de Camaçari, Cleiton Silva, foi morto numa tentativa de assalto, e em menos de 12 horas todos os bandidos que participaram do crime já haviam sido presos.
            O Estado brasileiro não oferece condições adequadas de trabalho aos policiais, uma vez que não há pessoal suficiente, treinamento rigoroso, faltam viaturas, apoio logístico, armamento e todo aparato responsável em oportunizar uma atuação mais competente e eficaz. Assim, é no mínimo incoerente exigir tanto da polícia brasileira.
            Não é objetivo desta discussão, no entanto, mascarar e tampouco esconder falhas da polícia que independem da falta de condições de trabalho ofertadas pelo Estado, como abuso de autoridade, corrupção, atividades ilícitas ou violência gratuita, mas o de enfatizar que há sérias razões que impedem e limitam o trabalho da polícia brasileira.
            Nesse ínterim, surge o questionamento: por qual razão a polícia consegue dar resposta rápida a criminalidade apenas em alguns casos? Como a falta de estrutura é singular na Instituição, sempre se acaba dando prioridade a alguns casos, tal prioridade é mais notável em crimes cometidos contra policiais, autoridades, pessoas de representatividade social ou ainda que causam grande comoção popular.
            Dessa forma, o foco da discussão deveria ser outro. A questão a ser discutida não é, certamente, a resposta rápida que a polícia tem dado em alguns casos, porém a implementação de medidas que possibilite que tal Instituição aja sempre de forma rápida e eficiente.
            A violência alcançou níveis insustentáveis no Brasil, e os crimes cometidos não fazem acepção de pessoa, religião, etnia, gênero ou conta bancária. É preciso, então, que o Estado faça investimentos em áreas sensíveis, como segurança pública, saúde, educação, entretenimento, cultura, cidadania e emprego. As ações elencadas aqui não contribuirão apenas para amenizar a criminalidade, mas para elevar os níveis de desenvolvimento do país. É hora de avançar.

 Posted in Atualidades, Coluna Samy Santos, Notícias, Polícia, Política |  Tags: Artigo de Opinião, Bahia, Samy, Violência na Bahia |  No Comments » http://www.noticiasdeipiau.com/tag/artigo-de-opiniao/


Proposta de Atividade

1)    Em um texto de opinião a “Tese” é a idéia defendida pelo autor. Qual alternativa resume a tese do autor Samy Santos?

a)    “A polícia quando quer faz.”;         b)    “Esse debate volta à tona em razão dos acontecimentos recentes;”
c)   “É hora de avançar;”                            d)     “É no mínimo incoerente exigir tanto da polícia brasileira.”

2)    Qual é o principal argumento do autor para sustentar sua tese?

a)    Crimes cometidos contra policiais, autoridades, pessoas de representatividade social, ou ainda que causam grande comoção popular;

b)    Implementação de medidas que possibilite que tal instituição aja de forma rápida e eficiente;

c)    É preciso investir na saúde;

d)    Após 12 horas todos os bandidos sempre são presos.

3)    De acordo com o autor quais os motivos que causam a violência?

a)    A falta de segurança pública, saúde, educação, entretenimento, cultura, cidadania e emprego;

b)    Pessoa com representatividade social;

c)    Não exigir muito da polícia brasileira;

d)    Falta de viaturas e armamento

4)    O texto “Fácil Assim?” pertence ao gênero artigo de opinião. A finalidade desse gênero é:

a)    Retratar fatos do cotidiano;

b)    Descrever aspectos da vida de pessoas conhecidas ( nome, idade, profissão, etc)

c)    Defender uma opinião, por meio de argumentos que convençam o leitor;

d)    Relatar os acontecimentos ocorridos durante o dia.

5)    No trecho “Não é objetivo desta discussão, no entanto, mascarar e tampouco esconder falhas da polícia que independem da falta de condições de trabalho “[...] Que efeito de sentido provoca a conjunção no entanto no texto?

a)    Contradição;       b)    Explicação;          c)    Conclusão;            d)    Adição.

6)    De acordo com a leitura do texto, podemos afirmar que a posição do autor em relação ao fato apresentado é:

a)    A polícia sempre resolve todos os problemas;

b)    A polícia, conforme a expressão utilizada “quando quer faz”;

c)    Defende a ideia
de uma alternativa diferente para solucionar os problemas;

d)    Pensa que não há solução para a corrupção na polícia.

Produção textual

1)    Escreva um texto de opinião abordando a violência na sua comunidade. Apresente as causas e sugestões para solução desse problema.

2)    Leia o seguinte fragmento da canção “Polícia” (Titãs)
  “polícia para quem precisa
   polícia para quem precisa de polícia?”

Observe que existe uma relação com o texto “Fácil assim?”, principalmente no trecho “ a polícia quando quer faz”. Dessa forma, produza um texto de opinião acerca do tema:
 Como é a ação da polícia em seu bairro?

Lembre-se de colocar título.