quarta-feira, 26 de julho de 2017

Análise Textual

 EMEF Prof Fernando Pantaleão                                          
 Leitura e Interpretação  - 6 º Ano - 3ºBimestre / 2017






                                   Bob, um gato fora do normal

Há uma citação famosa que diz que recebemos uma segunda chance todos os dias, mas geralmente não a aproveitamos. Passei grande parte de minha existência provando que isso é verdade. Mas tudo mudou no começo da primavera de 2007, quando me tornei amigo de um gato, o Bob.
Conheci Bob numa noite sombria. Era uma quinta-feira de março. Havia previsão de geada, por isso cheguei em casa, no norte de Londres, um pouco mais cedo do que de costume, após mais um dia nas ruas movimentadas de Covent Garden.
O elevador do meu prédio não estava funcionando, então minha amiga Belle e eu seguimos em direção à escada. A lâmpada estava quebrada, e o hall de entrada, escuro como breu, mas não pude deixar de notar um par de olhos reluzindo na escuridão. Um gato laranja estava enrolado sobre um capacho, do lado de fora de um dos apartamentos do térreo. Era um macho.
Ele me encarou com um olhar inteligente. “Então, quem é você e o que faz aqui?”, parecia perguntar.
Eu me ajoelhei.
— Olá, companheiro. Nunca te vi antes. Você mora aqui?
Ele continuou me encarando, me analisando. Fiz carinho no seu pescoço, em parte para ficar amigo dele e, por outro lado, para saber se usava coleira. Não usava.
Ele adorou a atenção. Seu pelo era desigual, havia falhas em alguns lugares, e ele estava visivelmente faminto. Pelo modo como encostou em mim, pude perceber que precisava de um amigo.
— Acho que é um gato de rua — eu disse a Belle.
Belle sabia que eu adorava gatos.
— Você não pode ficar com ele, James — ela me advertiu, apontando para o capacho onde o gato estava sentado. — Provavelmente ele pertença a alguém aqui do prédio.
Ela estava certa. A última coisa de que eu precisava naquele momento da minha vida era de um gato. Já estava bem difícil tomar conta de mim mesmo.
Na manhã seguinte, o gato ainda estava lá. Fiz novamente um carinho nele, que ronronou, agradecendo a atenção.
Com a luz do dia, pude perceber que era um animal lindo. Tinha um rosto impressionante, com penetrantes olhos verdes. A julgar pelos arranhões em suas patas e no focinho, devia ter-se envolvido em alguma briga ou acidente. Seu pelo era ralo e espetado, havia buracos em vários lugares. Fiquei realmente preocupado com o bichano.
Pare de se preocupar com o gato; em vez disso, preocupe-se com você mesmo, pensei. Contrariado, me afastei e fui pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados me apresentando na rua.
Ao voltar para casa, já era tarde — quase dez horas. Desci apressado pelo corredor para ver se encontrava o tal gato laranja, mas ele havia ido embora. Parte de mim ficou desapontada, porém, mais do que tudo, fiquei aliviado.
No dia seguinte, meu coração deu um pulo ao vê-lo novamente, no mesmo lugar. Ele estava mais fraco e mais desgrenhado que nunca. Parecia faminto e com frio, pois estava tremendo.
Talvez estivesse na hora de Bob encontrar um novo dono. Talvez ele tenha encontrado em mim sua alma gêmea.
Foi, então, que tomei uma decisão ali mesmo.
— Vem comigo! — exclamei.
Senti algo muito bom por ele estar ali no meu apartamento. Eu tinha agora uma companhia.

(Extraído e adaptado de BOWEN, James. Bob: um gato fora do normal. Ribeirão Preto: Conceito Ed.,2014)

01 - Considerando o texto 1, não se pode afirmar que se trata

(A) da carência de um jovem que precisa de cuidados.  (B) das chances que podemos receber da vida.
(C) do encontro de um jovem e de um gato perdido.      (D) dos maus-tratos sofridos por animais de rua.
(E) do afeto entre pessoas e animais.

02- Enumere as frases abaixo de acordo com a ordem em que os fatos aparecem no texto. Depois, escolha a alternativa que corresponda à resposta correta.
(      ) James e Belle viram, pela primeira vez, o gato laranja porque precisaram usar a escada do prédio.
(      ) James ficou desapontado, mas, principalmente, aliviado quando não encontrou o gato laranja no corredor.
(      ) A previsão de mau tempo levou James a voltar para casa mais cedo do que de costume.
(      ) O rapaz fez carinho no pescoço do animal para ficar seu amigo e, também, para saber se usava coleira.
(      ) A companhia do gato, em seu apartamento, provocou em James uma sensação boa.

(A) 2 – 4 – 1 – 3 – 5          (B) 3 – 1 – 4 – 5 – 2    (C) 1 – 3 – 5 – 2 – 4          (D) 2 – 4 – 3 – 1 – 5    ( E) 3 – 4 – 2 – 1 – 5

03- Analise os trechos sublinhados das frases abaixo e marque (F) se indicar um FATO ou (O) uma OPINIÃO sobre determinado fato. Depois, escolha a alternativa que corresponda à resposta correta.

(     ) “Ele me encarou com um olhar inteligente.”
(     ) “Na manhã seguinte, o gato ainda estava lá.”
(     ) “Desci apressado pelo corredor para ver se encontrava o tal gato laranja, mas ele havia ido embora.”
(     ) “Senti algo muito bom por ele estar ali no meu apartamento.”
(     ) “Eu tinha agora uma companhia.”


(A) F – F – O – O – F             (B) O – F – O – F – O           
(C) O – F – F – O – F              (D)  O – O – F – F – O     
 (E) F – O – O – F – F

04- Se o narrador da história fosse Belle, a frase “Contrariado, me afastei e fui pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados me apresentando na rua” poderia ser reescrita, mantendo a coerência, como:

(A) Contrariado, se afastou e foi pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados me apresentando na rua.
(B) Contrariada, me afastei e fui pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados me apresentando na rua.
(C) Contrariado, se afastou e foi pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados se apresentando na rua.
(D) Contrariados, nos afastamos e fomos pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaríamos ganhar alguns trocados nos apresentando na rua.
(E) Contrariada, se afastei e foi pegar o ônibus para o distrito de Covent Garden, onde tentaria ganhar alguns trocados se apresentando na rua.

05 - Em “Passei grande parte de minha existência provando que isso é verdade“, o pronome isso se refere
(A) à imensa sorte de recebermos chances todos os dias da nossa vida sem valorizarmos essa excelente oportunidade.
(B) às chances perdidas no decorrer das nossas vidas.
(C) à ideia de recebermos uma segunda chance todos os dias, e, de modo geral, não a aproveitarmos.
(D) à prova de que uma segunda chance deve ser aproveitada.
(E) à amizade entre James e Bob.

06 - Em “Conheci Bob numa noite sombria. Era uma quinta-feira de março. Havia previsão de geada, por isso cheguei em casa, no norte de Londres, um pouco mais cedo do que de costume, após mais um dia nas ruas movimentadas de Covent Garden”, os termos em negrito podem ser substituídos, sem mudar o sentido do texto, respectivamente, por:

(A) escura - habitualmente          (B) fria – usualmente         (C) triste – sempre            D) cinzenta - ontem                      (E) desanimadora - diariamente

07- A partir da leitura do texto e da passagem “… tentaria ganhar alguns trocados me apresentando na rua”, pode-se entender que James

A) se distrai com as suas apresentações pelas ruas do distrito de Convent Garden.
B) vai para as ruas para alegrar as pessoas que transitam por elas.
C) faz apresentações pelas ruas do distrito para se tornar um artista.
D) tem uma ONG que protege animais de rua.
E) se apresenta nas ruas porque precisa ganhar dinheiro.

História de uma gata

Chico Buarque, Sergio Bardotti, Luis Bacalov

Me alimentaram
Me acariciaram
Me aliciaram
Me acostumaram

O meu mundo era o apartamento
Detefon, almofada e trato
Todo dia filé-mignon
Ou mesmo um bom filé... de gato
Me diziam a todo momento
Fique em casa, não tome vento!
Mas é duro ficar na sua
Quando à luz da lua
Tantos gatos pela rua
Toda a noite vão cantando assim

Nós, gatos, já nascemos pobres
 Porém já nascemos livres
Senhor, senhora ou senhorio
Felino, não reconhecerás

De manhã eu voltei pra casa
Fui barrada na portaria
Sem filé e sem almofada
Por causa da cantoria
Mas agora o meu dia a dia
É no meio da gataria
Pela rua virando lata
Eu sou mais eu, mais gata
Numa louca serenata
Que de noite sai cantando assim

Nós, gatos, já nascemos pobres
Porém já nascemos livres Senhor,
senhora ou senhorio Felino, não reconhecerás













Versão adaptada (www.vagalume.com.br/chico-buarque/historia-de-uma-gata.html)

Vocabulário:

1. aliciaram (linha 03) - atraíram, seduziram, subornaram.
2. Detefon (linha 06) - inseticida contra moscas, mosquitos, baratas, pulgas, traças, etc.
3. senhorio (linhas 17 e 31) - proprietário de apartamento, condomínio, casa, terra ou bens mobiliários.

08 - No trecho “Mas é duro ficar na sua/Quando à luz da lua/Tantos gatos pela rua” (linhas 11 a 13), pode-se imaginar que a gata deseje

A) ficar em casa.              
B) sair para as ruas
C)admirar a lua.                       
D) comer um bom filé.
E) esperar o seu dono.

09 - Considerando o sentido geral do texto 2, pode-se afirmar que

A) a condição para os gatos serem felizes é a liberdade.
B) Detefon, almofada e trato é tudo o que os gatos desejam.
C) os gatos circulam entre apartamentos e ruas livremente.
D) os gatos se mostram ingratos com seus donos.
E) gatos rebeldes ficam sem filé e almofada.

10 - No trecho “Mas agora o meu dia a dia/É no meio da gataria/Pela rua virando lata/Eu sou mais eu, mais gata” (linhas 23 a 26), o estado de espírito da gata pode ser resumido pelos termos

A) convencida e arrogante.      
B) livre e feliz.
C  irônica e divertida.                  
D) frustrada e infeliz.
E ) independente e bonita.

11- Em qual alternativa abaixo não foi sublinhada uma palavra que indica qualidade?

A) “Ou mesmo um bom filé… de gato” (linha 08)
 B) “Nós, gatos, já nascemos pobres” (linhas 15 e 29)
C) “Porém já nascemos livres” (linhas 16 e 30)
D) “Numa louca serenata” (linha 27)
E) “É no meio da gataria” (linha 24)

12 - Assinale a única frase em que o verbo apresenta noção de tempo presente.

A) “Me alimentaram” (linha 01)
B) “O meu mundo era o apartamento” (linha 05)
C) “Me diziam a todo momento” (linha 09)
D) “De manhã eu voltei pra casa” (linha 19)
E) “Mas agora o meu dia a dia é no meio da gataria” (linha 23-24)

13- Observe:
“Eu sou mais eu, mais gata  / Numa louca serenata” (l. 26-27)

A alternativa que apresenta palavra com sentido equivalente ao do termo destacado é:

A)maluca    
B)estranha   
C)desastrada
D)absurda   
E) esquisita

14-Ao comparar o texto 1 e o texto 2, pode-se afirmar que


A) contam a história de gatos abandonados.
B) contam a história de gatos que nascem pobres e se tornam ricos.
C) contam a história de reencontros entre gatos e seus donos.
D) o texto 1 conta a história de um gato sem lar; o texto 2, de uma gata que busca sua liberdade.
E) o texto 1 conta a história de um animal infeliz; o texto 2, de uma gata feliz que tem tudo o que deseja.




Nenhum comentário:

Postar um comentário